Sunday, May 06, 2007

Aposentar com Dividendos de Ações?

Eventualmente vem gente me perguntar sobre ações, quais comprar, quando comprar, esse tipo de coisa. Quando a gente trabalha no mercado acionário percebe que a coisa não é como nos filmes, onde sempre tem um sujeito que faz uma fortuna especulando em um período muito curto de tempo (fazendo o chamado day trade). Quem é investidor pessoa física e tentou fazer day trade já percebeu que isso não é muito fácil. Em mercados de alta volatilidade, é possível auferir ganhos significativos executando esta estratégia ,mas também é muito fácil perder.

Com todo esse entusiasmo em cima do resultado da Bolsa, tem muita gente investindo em ações. Só que a grande batalha das corretoras, bancos e fundos de investimentos é fazer o investidor entender que aplicar em ação não é investimento de curto prazo. Tem muita gente que compra uma ação hoje, paga corretagem e fica olhando para o preço da ação todo santo dia. E convenhamos, isso é enlouquecedor para qualquer tipo de investimento.

Estamos vivendo, sem dúvida, um momento excepcional na Economia não apenas brasileira como mundial. E isso se reflete no resultado das empresas e claro, no desempenho das mesmas na Bolsa. A revista Exame fez um cálculo interessante em sua última edição:

Quem há 20 anos aplicou 1 000 reais em cada uma das empresas abaixo e reinvestiu os ganhos tem hoje rendimento anual de 35 150 reais com os dividendos. Por mês, a renda é de 2 930 reais. Confira abaixo o desempenho de cada ação

Dividendo anual
Telesp ON - 20 800 reais
Banespa ON - 6 140 reais
Vale do Rio Doce ON - 4 600 reais
Unibanco ON - 2 400 reais
Lojas Americanas PN - 1 210 reais
Muito bem, o que isso tudo quer dizer? Quer dizer, entre outras coisas, que a Economia tornou-se mais sólida, que as empresas em que esse investidor aplicou possuíam um fundamento sólido e que, quem diria, é possível se aposentar com ações. A matéria fala essencialmente de dividendos, que é a parcela de lucro distribuída aos acionistas ao fim de cada exercício social, na proporção da quantidade de ações detida. Ela parte do pressuposto que se o investidor tivesse aplicado aqueles R$ 1.000 há vinte anos nas 5 maiores empresas pagadoras de dividendos nesse período e que se ele tivesse reinvestido todo o ganho com esses dividendos em mais ações dessas empresas, teria um patrimônio de R$ 950.000 hoje em ações.
Impressionante, não? Mas devemos levar em conta que juntar esse dinheiro é fácil em teoria. O investidor físico precisa para tanto ter uma boa compreensão da ação que está adquirindo, saber se o fundamento da empresa é boa. Para tanto, pode recorrer à análise da corretora onde opera, manter-se informado sobre as ações da empresa por meio de jornais, revistas e também prestar atenção no histórico de pagamento de dividendos. Todas essas empresas possuem uma área de Relacionamento de Investidores também, onde o investidor pode ter acesso aos relatórios anuais, composição acionária, apresentações institucionais.
Além disso ele precisa ser disciplinado. Poupar o dinheiro e investir em ações sempre. Todos sabemos que isso é complicado, principalmente quando precisamos de caixa imediato e surge a tentação de realizar o ativo. Para isso, a matéria dá uma dica sábia que se todo investidor em ações tivesse na cabeça já seria um passo enorme: "nunca compre ações com um recurso que faça falta para outro investimento, como a compra de um imõvel ou de um carro. Só tire o dinheiro de uma ação se tiver em vista outra mais promissora."

4 comments:

Anonymous said...

Claudia, seria uma estratégia adequada? Comparando outros meios como PGBL, seria interessante uma estratégia mista?

Edu

Claudia Koma said...

Oi Edu, tudo bem?

Para você investir em ações, tem que ver quais são os seus recursos e quais são os seus objetivos.

Lembre-se que por mais otimista que o mercado esteja, a Bolsa é um investimento arriscado ainda. Para comprar ações como pessoa física, aconselho que você pense a longo prazo. Ou seja, se precisa de caixa daqui a um mês, não coloque em ações. Jogue na mega-sena...

Para investir em fundos de investimentos com cotas em ações você pode pensar mais em médio prazo, uma vez que os gestores de fundos de varejo principalmente são pressionados para entregar resultados mensalmente.

OK? Espero ter ajudado!
Bjs!

Marcello said...

Pessoal, acho que vale a pena dar uma olhada em outro artigo que escrevemos sobre previdência, para ampliarmos a abrangência deste artigo.

http://cafecomeconomia.blogspot.com/2006/11/previdncia-em-foco.html

Dinheiro em pauta said...

E quando houver uma queda consistente do Ibovespa? E quando a liquidez internacional diminuir? O que diremos aos investidores recentes e a nós memos? (Aliás. além de blogueiro sou investidor novatíssimo e não consigo prever meu comportamento nesta situação!!!)