Saturday, July 08, 2006

Desafios da Microsoft no mercado digital

Temos recebido sinais mais fortes de que a Microsoft realmente planeja lançar seu próprio tocador de música digital e sua loja de música online, possivelmente antes das festas de final de ano nos Estados Unidos. Mas a Microsoft não é aquela empresa que licencia seu sistema operacional para milhares de fabricantes de PCs? Por que razão, então, ela se lançaria na aventura de comercializar um sistema de música digital proprietário? Não é essa a estratégia adotada pela Apple desde sua criação, com o seu próprio sistema operacional, o MAC OS, e mais recentemente com o iPod e a loja de música online iTunes, e que recebe frequentes críticas de todos os lados?

A Microsoft cresceu e é o gigante de hoje porque licenciou seu sistema operacional (que teve suas origens na IBM) para os fabricantes de computadores pessoais. Essa estratégia deu certo no mercado de PCs, onde o Windows responde pela maior parte do mercado. Entretanto, esse mercado atingiu seu ponto de maturação nas economias desenvolvidas. A possibilidade de lucro é mais difícil. Além disso, ao que parece, não é uma estratégia adequada para o mercado digital de conteúdo, principalmente o de música e vídeo. A Apple, com seu iPod e sua loja iTunes, domina o mercado de tocadores digitais e o de download legal de músicas pela internet. E a empresa de Bill Gates não pode se dar ao luxo de deixar a Apple levar sozinha grande parte dos lucros deste mercado em franco crescimento.

As barreiras que a empresa de Redmond enfrentará são inúmeras. Entre elas, vai ter que antes de mais nada, explicar detalhadamente a seus atuais parceiros de hardware sua estratégia. Certamente essas empresas, como a iRiver, não ficarão satisfeitas em saber que sua principal fornecedora de software os abandonará depois de terem trabalhado por tanto tempo no ajuste de seus hardwares.

Além disso, e o que creio ser o mais difícil de se atingir, a Microsoft deverá superar a Apple no que ela tem de melhor: facilidade de uso do iPod e a integração fácil entre seu tocador digital e a sua loja online. A Apple também não pára no tempo e sua taxa de inovação é altíssima. E, por fim, é um mercado em alta expansão. Tudo Isso criou uma vantagem muito grande para a Apple. Competir em pé de igualdade será um grande desafio para a Microsoft.

Por que a estratégia da Apple, de sistemas proprietários, e não a da Microsoft, de licenciamento de software a terceiros, deu certo no mercado de música digital? Essa é uma pergunta que poderemos responder em artigo posterior.

5 comments:

Clau Komamura said...

Paulo, antes de mais nada, bem-vindo ao Café com Economia! Espero que possamos ainda receber muitos e muitos artigos seus.

Quanto ao assunto discutido, o que penso é que a Microsoft tem muito aquela imagem de empresa inovadora, mas ao mesmo tempo "certinha", enquanto a concorrente Apple é vista como uma empresa mais "antenada". Acho que uma estratégia de diferenciação é fundamental.

Um grande abraço.

Leonardo said...

Ahn eu acredito que seja um pouco mais diferente.. a Microsoft era anterior mente uma empresa de softwares apenas que desenvolvia sistemas conjugados a hardwares de outros... hoje acredito que seja sobra de expertise.. a microsoft começou criando os jogos dela... e com isso sentiu necessidade de lançar uma plataforma proprietária para rodar melhor seus jogos... um modo arcade ja que o playstation estava fazendo sucesso.. eh apenas aproveitar a onda com o melhor que tem... desta vez eh a musica... eles tem a codificação de audio WMA, e o tocador iterno do windows... colocar isso em um console separado (tocador de MP3) é apenas mais um passo evolutivo... certamente a microsoft ainda nao se aventurou em fazer chips e pcs pq tem parcerias fortes que desenvolvem e utilizam recursos para desenvolver sistemas compatíveis ao máximo nao tendo a necessidade dela mesma fazer isso... mas vai saber oq ue pode acontacer no futuro... a Microsoft é uma gigante... ela tem capacidade para se aventurar nde nao tem o costume de ser vista atuando...

Marcello said...

A Microsoft é muito grande como você falou, mas também consegue sempre se inovar e mudar sua estratégia. Assim foi com o Sistema Operacional Windows 95, que não facilitava em nada a integração com a internet e nem tão pouco tinha um web browser. Hoje seu sistema operacional, bem como seus produtos são totalmente integrados para internet. Bom, isso foi só para ilustrar. Por outro lado,a Apple passou maus bocados, definhando por anos a fio (Steve Jobs estava fora da Apple) até realmente lançar idéias criativas e que deram certo (com Steve Jobs)! Como vc mesmo disse, o pessoal da Apple tem uma capacidade extraordinária de criar produtos interativos, fáceis de se usar e bonitos, aliás é o que mais chama a atenção não é mesmo? O iPod não é excessão. Existem tocadores de mp3 tão bons quanto o o Ipod, o Zen da Creative por exemplo, mas não tem aquele aparência! Não é objeto de desejo. Quanto a Microsoft entrar no mercado players, ela já o está fazendo mas através de um outro acessório indispensável - o celular. É uma briga de gigantes...

Continue escrevendo!

Clau Komamura said...

Para ver como a estratégia da Apple é boa, eu era ("sou"?) uma daquelas que via a empresa como fabricante de objetos de desejo! Como diriam, é o marketing sem marketing, é criar uma moda onde é preciso ter para ser alguém.

Chama a atenção também a crescente interatividade dos meios de comunicação. Já falamos de TV digital, agora de tocadores de mp3, celular, tudo no futuro convergindo para o mesmo lugar.

Um grande abraço.

Leonardo Baiocco said...

A Clau disse tudo.. é incrivel como tudo que a Apple faz salta aos olhos... nao sei como eles fazem isso... mas da uma vontade de comprar soh pelo visual....