Monday, October 02, 2006

Expomoney São Paulo - Educando Investidores


Eleições Essa semana está extremamente movimentada, principalmente com a primeira etapa das eleições no domingo passado. As notícias do dia se referem ao segundo turno entre Lula e Alckmin. O atual presidente recebeu praticamente 47 milhões de votos representando 48,61% dos votos válidos e Geraldo Alckmin, 40 milhões de votos representando 42,64%. Um resultado impressionante, com Lula, como as pesquisas já indicavam, vencendo o concorrente nas regiões Norte e Nordeste principalmente.


Particularmente aqui em São Paulo, as rádios comentavam a decepção do candidato Mercadante com seu resultado. Resultado este que ele atribui em grande parte ao escândalo ocorrido nos últimos meses onde representantes petistas estavam envolvidos na compra de fotos que suspostamente incriminavam o candidato Serra do PSDB. Conforme apurado pela rádio Jovem Pan, Mercadante, na última eleição havia conseguido 10 milhões de votos e nesta teve somente 6 milhões. Mesmo o senador Eduardo Suplicy se surpreendeu com o desempenho do candidato Guilherme Afif do PSDB que começou sua campanha há pouco mais de um mês antes das eleições.


Expomoney Bom, mas não estou aqui para falar de eleições, mas sim de um evento ao qual tive oportunidade de participar na semana passada, a Expomoney. Este evento é gratuito e aconteceu no Centro de Convenções Frei Caneca aqui em São Paulo. Foram 3 dias de palestras para discutir os diversos investimentos existentes no mercado financeiro: de mini-contratos a opções e hedge. Para quem gosta do assunto, pôde além de visitar os estandes de corretoras como a Fator, Planner, Itau, Bradesco, Banif aprender um pouco sobre o mercado de ações. Eu tive a oportunidade de assistir algumas palestras sobre perspectivas da Economia para o próximo ano. As corretoras acreditam que haverá crescimento econômico para o próximo ano e que as eleições não devem afetar o mercado financeiro, independente do candidato que vencer. Isso está claro, afinal o presidente Lula (afora os ocorridos escândalos de corrupção) manteve a Economia estável e seguiu a cartilha do desenvolvimento conservador.


De olho nos americanos Uma das palestras mais interessantes que assisti foi a de Flávio Conde, professor do Ibmec e estrategista da Itau Corretora. Ele alerta os investidores a prestarem atenção principalmente no preço do petróleo (por afetar não somente a indústria do petróleo, mas inúmeras outras empresas), a atividade financeira americana (aumento dos juros ou redução de juros) e a inflação no varejo americano. Você pode estar se perguntando agora: por que tanta preocupação com o mercado americano? Primeiro, os grandes investidores da Bolsa brasileira são os estrangeiros. Segundo, o que acontece nos EUA afeta sobremaneira o que acontece no Brasil, principalmente após o início da globalização na déca de 90. Não há como ganhar dinheiro sem saber o que acontece principalmente nos EUA e nos países emergentes. Terceiro, o consumidor americano consome de tudo. Por isso o índice de varejo americano é tão importante, pois é ele que afeta o crescimento da indústria mundial.


Concluindo As perspectivas no geral eram positivas e as previsões é que a Bovespa feche o ano em torno de 32.000 a 35.000 pontos. As corretoras, como já era de se esperar em um evento como este, acreditam que a Economia vá crescer no próximo ano, independente do presidente e sinalizam bons ganhos em ações para 2007.


Veja também:

2 comments:

Marcello said...

Acho muito válido ter eventos assim como a Expomoney pois aproxima mais assuntos econômicos dos estudantes, profissionais e demais pessoas interessadas. Gostaria de acrescentar ao item de - olho nos americanos - que também muitos investidores acabam sendo atraídos pelo taxa de juros mais elevadas no país, e taxa de risco mais baixo, saindo dos mercados emergentes.
t+

Inimigo Coletivo said...

Excelente blog. Parabéns pelo trabalho!

Um abraço!